Florestas Nativas e Florestas Plantadas: Entenda a diferença!

Atualizado: 9 de jul. de 2020


Quando você pergunta para um estrangeiro o que vem primeiro a cabeça ao pensar sobre o Brasil, muitos respondem “Amazônia”.

Isso acontece por que o Brasil é uma potência florestal, conhecido internacionalmente por sua diversidade. As florestas brasileiras estão diretamente ligadas a funções econômicas, sociais e ambientais podendo ser nativa ou plantada.


Floresta nativa ou natural como também é conhecida, geralmente é uma área dominada por diversas camadas de diferentes árvores sendo o habitat de muitas espécies de animais e plantas. A capacidade de oferecer matéria orgânica, regular e manter os sistemas hídricos da floresta nativa é maior do que a da floresta plantada, além de que existem benefícios da natureza para as pessoas que somente a floresta nativa pode oferecer.


Cada propriedade deve reservar parte da sua área com floresta nativa como reserva legal. Esta floresta pode ser explorada sob a forma de manejo sustentado, mediante projeto aprovado pelos órgãos ambientais.


Quando o assunto é floresta plantada falamos expressamente sobre reflorestamento para fins comerciais, atualmente essa atividade é essencial principalmente para a preservação da floresta nativa. A floresta plantada vira matéria-prima para diversos setores industriais que utilizam madeira serrada, biomassa, celulose, extrativos de madeira, entre outros.


O plantio de florestas plantadas no Brasil começou a mais de um século, as plantas mais utilizadas no reflorestamento desde então é o eucalipto e os pinus devido as suas vantagens econômicas. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2017 na floresta plantada o Brasil tinha 75,2% de eucalipto e 20,6% de pinus.

Fonte: IBÁ E PÖYRY (2018)


O setor brasileiro tem a maior produtividade considerando o volume de madeira produzido por área ao ano, e uma das rotações mais curtas, considerando o tempo decorrido entre o plantio e a colheita das árvores do mundo.


Em 2019 o Ministério da Agricultura aprovou o Plano Nacional de Desenvolvimento de Florestas Plantadas (PNDF), por meio da Portaria números 111 de 4 de junho de 2019, assinada pela ministra Tereza Cristina. O projeto tem a meta de ampliar a área de produção florestal em 2 milhões de hectares até 2030, o que representa aumento de 20% sobre a área atual.


Infelizmente o mundo não deixará de usar os recursos naturais oferecidos pelo nosso planeta, por tanto é essencial o desenvolvimento de tecnologias e meios que possam garantir a sustentabilidade e a preservação do meio ambiente. De forma responsável e planejada as plantações podem garantir a manutenção do ecossistema e do bioma, além do desenvolvimento econômico e social.


 

Referências:


GLOBO RURAL. São Paulo, 2020. Disponível em: < https://revistagloborural.globo.com/ >. Acesso em: 01 jul. 2020

0 comentário